Loading...

terça-feira, 21 de junho de 2011

O mundo atual: a indústria cultural e o homem vazio

A Obra de Arte na Época de sua reprodutibilidade técnica 
 
       
Em alemão, no original, Das Kunstwerk im Zeitalter seiner technischen Reproduzierbarkeit, é um artigo escrito por Walter Benjamin sobre a arte no século 20. Tomado pelo advento da máquina fotográfica e suas múltiplas realizações, com destaque na quebra do paradigma da aura da obra de arte, Benjamin discorre quanto e como se dá essa influência na sociedade. Foi pela primeira vez publicado, em francês, na revista do Instituto de Investigação Social Zeitschrift für Sozialforschung, em 1936. É o primeiro e mais conhecido texto de Walter Benjamin.

      Em sua primeira versão de a A Obra de Arte na época de sua reprodutibilidade técnica, Benjamin recepciona positivamente a reprodução industrial das obras de arte e a possibilidade de que muitos tenham acesso, por exemplo, aos bens culturais, não mais privativos de museus e bibliotecas. Mas nas versões seguintes reconhece que não há mais experiência com os bens culturais, apenas somos saturados de informações. Com respeito à sociedade de massa e novas tecnologias, elas se inscrevem, parece-me, no âmbito do que Benjamin escrevia sobre a "guerra da técnica", tudo o que resulta do distanciamento do homem com respeito ao homem, desde os armamentos que matam a distância desresponsabilizando o ato até o horror ao contato ou o evitamento do contato que as novas tecnologias da comunicação permitem. Aqui seria o caso de pensarmos sobre a diferença da philia (da amizade), como a Filosofia a elaborou e as "amizades" da internet, bem como a ideia de pertencimento a comunidades virtuais etc.
Jeremy J. Shapiro
Max Horkheimer (à esquerda) e theodor Ludwig Wiesengrund-adorno (à direita)
 
Max Horkheimer (1895- 1973), filósofo e sociólogo alemão, ingressa no Instituto para Pesquisa sociais (que viria a ser conhecido como escola de Frankfurt) em 1923 juntamente com adorno. Mais tarde, 1931, torna se presidente do grupo ao suceder o historiador austríaco Carl Grünberg. escreveu livros como: Materialismo e Moral, Teoria Tradicional e Teoria Crítica, Eclipse da Razão, Teoria Crítica Ontem e Hoje.

Theodor ludwig Wiesengrundadorno (Frankfurt, 1903-1969) é um dos mais proeminentes pensadores da alemanha no período da segunda Guerra Mundial. Na universidade de Frankfurt (atual universidade johann Wolfgang Goethe), estudou Filosofia, Musicologia, Psicologia e sociologia. juntamente com Horkheimer e Herbert Marcuse, formou o trio fundamental da conhecida escola de Frankfurt, de linha neomarxista, berço da Teoria Crítica. Principais obras: Dialética do Esclarecimento (1947), Dialética Negativa (1966), Teoria Estética (1968).
Fonte:
http://filosofia.uol.com.br/filosofia/ideologia-sabedoria/30/artigo219552-2.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário